sábado, 31 de julho de 2010

Diploma de tecnólogo vale em concurso e pós

Por Moacir Garcia

Segundo a Nota Técnica MEC/DPAI nº 001/2007 “o ensino superior no Brasil possui graduações em três formas equivalentes, a saber: Licenciatura, Bacharelado e Graduação Tecnológica. As graduações tecnológicas, ou Cursos Superiores de Tecnologia [título de TECNÓLOGO a seus diplomados] conferem o mesmo grau que as demais formas, cujos diplomas têm validade nacional de nível superior”.

“Os egressos de Cursos Superiores de Tecnologia estão aptos a assumir função de nível superior, prestar concursos para esse nível, bem como proceder a estudos de pós-graduação em nível de especialização, mestrado e doutorado”.

O MEC finaliza tal Nota Técnica “considerando tecnólogos como aptos a participar do processo seletivo em condições de igualdade aos egressos de cursos de bacharelado e licenciaturas, para provimento de vagas com exigência de nível superior”.

Além disso, recentemente o MEC reforçou o que a legislação federal e seus atos normativos estão “cansados” de afirmar: “diploma de tecnólogo vale em concurso e pós”. Isso foi veiculado em todos os grandes jornais e revistas online do País.

A possibilidade legal de se fazer pós-graduação - tanto lato sensu quanto stricto sensu - e ainda concorrer a concursos públicos não é novidade para o tecnólogo.

Inúmeros pareceres e resoluções do MEC - Parecer CNE/CEB 17/1997, Parecer CNE/CES 436/2001, Parecer CNE/CES 29/2002, Resolução CNE/CP 03/2002, Nota Técnica MEC/DPAI 001/2007, Nota Técnica MEC/DRSEPT/SETEC 109/2009 - corroboram essas prerrogativas.

O desconhecimento sobre a profissão, tanto por empresários quanto pelos próprios tecnólogos – que muitas vezes se menosprezam – faz com que haja preconceito, pois tais profissionais são comumente confundidos com técnicos ou no máximo intitulados de “técnicos” de nível superior, termo pejorativo para profissionais qualificados e especializados em suas áreas de formação, como qualquer outro profissional que passou mais tempo nos bancos da faculdade.

Se buscássemos nos informar mais não haveria necessidade do MEC estar repetindo antigas prerrogativas do tecnólogo. Isso vale para todos, seja estudantes, empresários, organizadores de concursos públicos, etc.

3 comentários:

  1. Acho interessante essas informações, pois até mesmo alguns tecnólogos desconhecem tais possibilidades, deixando de prosseguir em seus estudos.

    ResponderExcluir
  2. Moacir,

    Antes de mais nada quero te parabenizar pela criação do blog.

    Como você mesmo sabe, estou graduando em tecnologia em gestão da TI e como daqui há 02 meses estarei entrando pro time dos profissionais tecnólogos (com fé em Deus, há algum tempo venho trabalhando no sentido de divulgar e comentar, não somente no blog O Gestor, mas, em outros portais, assuntos pertinentes ao tecnólogo.

    Espero que você obtenha sucesso também nesta divulgação e obviamente em outros assuntos que irá tratar no seu novo blog.

    Abs.

    Em tempo: já estás no meu blog roll, passe lá pra conferir!

    ResponderExcluir
  3. Agradeço a visita no site e o comentário onde passa o seu blog com mais informações do assunto, já adicionei no corpo do post seu site como mais uma fonte de informação, tambem gostária de parabenizá-lo pelo blog e iniciativa de procurar esclarecer e ajudar os Tecnólogos.

    Antes de iniciar meu curso de Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas procurei me informar da validade e como o mercado vê o Tecnólogo, apesar de ainda não ser conhecido é muito válido pois podemos nos focar mais na área em que queremos atuar podendo depois com o tempo fazer cursos de aperfeiçoamento para suprir talvez uma carência de informação.

    ResponderExcluir