quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Curso Superior de Tecnologia é válido como nível superior, sim!

Por Moacir Garcia

Recentemente li o artigo "Curso de tecnólogo em design gráfico é válido?", escrito por Guilherme Sebastiany, sócio-fundador do Blog Sebastiany.

Citarei abaixo apenas alguns trechos do referido artigo para que meus leitores entendam meu artigo.

“Muitas profissões reconhecidas e regulamentadas tem ‘versões técnicas’ com cursos superiores de 2 anos ou menos. Isso é fato. (grifo meu)

(...)

Mas um técnico em nutrição, não é um nutricionista, da mesma forma que um técnico em farmácia não é um farmacêutico e assim por diante. Isso não está em discussão, e um aluno que faz um curso técnico sabe que não obterá um diploma de bacharelado. Até aqui tudo bem? (grifo meu)

Estas formações existem tanto para atender as necessidades do mercado, quanto para oferecer ao aluno uma formação mais barata e rápida que agilize o seu ingresso no mercado de trabalho. Concorde ou não, essa é a realidade. (grifo meu)

Portanto, um curso de Tecnólogo em Design Gráfico é sim válido, para atender a essa demanda do mercado e dos alunos. Mas da mesma forma que os demais, é um curso que não forma um Designer Gráfico, e sim um Técnico em Design Gráfico.( grifo meu)

(...)

A questão é matemática, 4 anos é o dobro de 2. O dobro de experiência, o dobro do conteúdo, o dobro de estudos, o dobro de aprendizado. Se fossem a mesma coisa, não haveriam mais cursos de 4 anos, afinal, para que pagar o dobro se o resultado é ‘quase o mesmo’?. Quem escolhe um curso de 2 anos porque acha que é a mesma coisa que um de 4, está se enganando.”

Considero que o autor deste artigo foi infeliz ao afirmar que quem cursa GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA é técnico. Quem cursa Tecnologia em Designer Gráfico é Tecnólogo e não técnico. Segundo ponto: TECNÓLOGO é profissional de nível superior, é GRADUADO, sim! Basta pesquisar um pouco e encontrará "n" pareceres e resoluções do Ministério da Educação (MEC) que versam sobre o assunto.

E mais. Se não sabe, geralmente quem opta por Curso Superior de Tecnologia é quem já está no mercado de trabalho, possui longa experiência profissional, no entanto, ainda não tem curso superior. E não por ser “uma formação mais barata e rápida”.

Além disso, o fato de passarem mais tempo num banco de “escola” não significa que os bacharéis aprendem mais. Vemos isso pelo resultado de provas em processos seletivos para empresas privadas e órgãos públicos.

Assim, muitos estudantes de profissões tradicionais (olha a “briga” para acabar com a prova da OAB) terminam seus cursos superiores sabendo pouco ou quase nada daquilo que estudaram nos primeiros períodos. No mais, grande parte daquilo que alegam ter estudado não têm aplicação prática no mercado de trabalho.

Já o tecnólogo não perde tempo com teorias, filosofias, etc. Parte logo para o conteúdo prático de sua profissão. Neste ínterim, já que o autor afirma que “a questão é matemática, 4 anos é o dobro de 2. O dobro de experiência, o dobro do conteúdo, o dobro de estudos, o dobro de aprendizado”, citarei como exemplo várias atividades executadas por bacharéis em administração: Gestão de Recursos Humanos, Marketing, Finanças, Logística, etc.

Se o tempo que se passa aprendendo certas matérias faz diferença, pois quem estudou mais tempo tem, em tese, o “dobro de experiência, o dobro do conteúdo, o dobro de estudos, o dobro de aprendizado”, posso afirmar, então, por exemplo, que enquanto o ADMINISTRADOR estuda no máximo 300 (trezentas) horas de Recursos Humanos (isso pode ser verificado pela grade curricular do curso de Administração), o TECNÓLOGO EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS (RH) tem pelo menos três vezes mais experiência, mais conteúdo, mais estudos, mais aprendizado que o bacharel em Administração, já que o profissional formado no Curso Superior de Tecnologia em Gestão de RH estuda em média 1.000 (mil) horas de matéria específica de Recursos Humanos. O restante da grade curricular do curso tecnológico é em matérias que permitem uma visão sistêmica das atividades da empresa. Logo, o TECNÓLOGO ESTÁ MUITO MELHOR PREPARADO PARA EXERCER A FUNÇÃO DE GESTOR DE RH.

Gostaria de deixar bem claro que o mercado de trabalho hoje é bem diferente daquele que tínhamos há 20, 30, 50 anos. Atualmente precisamos ser “especialistas” em nossas áreas de trabalho. O mercado não pode esperar 4, 5, 6 anos para que possa absorver um profissional, pois este só irá estudar as matérias práticas de sua profissão, na maioria dos cursos de bacharéis, nos quatro últimos períodos.

Por fim, o mercado não quer profissional “clínico geral”, que sabe um pouco de “cardiologia”, um pouco de “oftalmologia”, um pouco de... várias matérias, contudo não é “especialista” em nenhuma delas. O mercado quer o profissional que sabe resolver problemas para a empresa, para os clientes e para a sociedade. E sejamos sinceros, este profissional é o Tecnólogo.

24 comentários:

  1. Meu último argumento para o amigo químico e incrédulo; depois disso só falarei com ele, sobre esse assunto, pós a minha 'Doutoração'.Obrigado Moacir.

    ResponderExcluir
  2. Enquanto os administradores podem ocupar diversos cargos dentro de uma organização, os tecnólogos podem ocupar apenas uma área especifica, não podendo assim almejar um crescimento dentro das organizações...
    Pense antes de falar sobre os cursos de bacharelado, visto que todo curso tem vantagens e desvantagens.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E existe MBA pra quê? Pós , mestrado e Doutorado pra quê? Experiência, atualmente, vale muito mais do que um canudo!

      Excluir
  3. Hahahaha Sim querido o tecnólogo é próprio pra isso por isso é mais RÁPIDO ele é especifico numa área ou seja a área que o mercado de trabalho esta em falta tente se informar melhor sobre tecnólogos e depois vem dar palpites.

    ResponderExcluir
  4. crescer na empresa?

    trabalhamos apenas por salario!
    e claro temos que gostar do que fazemos.

    ResponderExcluir
  5. Nossa, seu blog é muito legal, parabéns.
    Agora me pergunto: pq os bacharéis têm tanto medo dos tecnólogos se estes têm um 'grau inferior'? Tá na cara que não é um grau tão inferior assim.
    Acabei agora o meu curso de tecnólogo em Comex e vou sim fazer uso dele para entrar no serviço público.
    Meu caminho não é o convencional. Conclui os meus 1º e 2º grau com supletivo. Formação bem fuleira, né não??
    Pois é, já passei em 2 concursos federais, em primeiro lugar e em quinto lugar, para cargos e órgãos deferentes.
    Tá na hora de parar de justificar os nossos medos e incompetências com preconceitos.
    Moacir, tenho visto que os editais da Petrobrás quase nunca aceitam os tecnólogos. Qual o caminho para poder modificar isso? Onde posso procurar forças conjuntas para modificar esse tipo de atitude?
    Agora mesmo saiu um edital que aceita técnicos em Comex, mas exclui os tecnólogos da mesma área, o que considero um abuso.
    Qual a medida mais eficaz nesse caso. Há a possibilidade de modificar ainda esse edital? Como?
    Grande abraço. marcos_comercial@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu fiz um tecnólogo em Marketing, pelas minhas pesquisas em concursos públicos, percebi que os federais, não aceitam os tecnólogos como superior, e nos rejeitam, o que fazer, visto que tenho uma Pós-Graduação em Gestão de Pessoas. meu face: dhecyo.sylva@hotmail.com

      Excluir
  6. O diploma de tecnologo é reconhecido como curso de nivel superior em concursos publicos?
    Alguem pode me responder esta pergunta, pois, pretendo fazer um curso a distancia para prestar concursos publicos que exigem nivel superior e a minha duvida é essa, pois as faculdades dizem que valem, mas pra "vender o peixe" o vendedor diz que "acabou de pescar"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. se quiser me responder por e-mail fiquem a vontade izaias.sa@hotmail.com

      Excluir
    2. Izaías,

      Tecnólogo é graduado assim como o bacharel e o licenciado, de acordo com a legislação vigente (Leia meu artigo "Tecnólogo x Concursos Públicos. Eis a questão!", de nov/2011). No entanto, este profissional é tratado com discriminação por ingerência e lobby dos Conselhos de classe - em especial CFA/CRAs e CONFEA/CREAs - que temem ser substituídos por tecnólogos.

      Só que estes mesmos conselhos nos aceitam para pagarmos anuidade (e para nos manter sob seus jugos) como os demais graduados registrados em tais entidades, contudo não temos os mesmos direitos, já que somos impedidos de exercer nosso mister profissional.

      Toda empresa terá pelo menos um administrador. Este seguirá as orientações do Conselho de classe quanto à contratação de colaboradores, etc. Assim, se tal conselho classifica o tecnólogo como profissional desqualificado, o gestor da empresa, certamente, optará pelo bacharel, mesmo que este seja um relapso como profissional, todavia, este tem mais tempo de “banco de escola”.

      Alguns concursos públicos – Polícia Federal e Receita Federal, por exemplo – não tem esse preconceito, já que se você passou no concurso público já está provado que deve saber alguma coisa, não importando se é tecnólogo ou não. Outros concursos, estaduais e municipais, principalmente, ainda são preconceituosos, pelas mesmas razões acima, mesmo que o tecnólogo tenha possibilidade de executar as tarefas com maestria.

      Ao optar por um curso superior tecnológico o ideal é você fazer algumas perguntas:
      1) já sei o que quero ser como profissional? Se não, o melhor é fazer bacharelado, já que este é mais generalista, com possibilidade para várias áreas.
      2) estou trabalhando naquilo que gosto e quero me especializar nisso?
      3) como está o mercado de trabalho na área profissional que escolhi?

      Diante disso, é possível fazer uma escolha certa (ou quase). Se você é jovem, melhor escolher bacharelado, pois certamente mudará de área profissional muito mais do que aquele que já trabalha há muito tempo na mesma atividade (meu caso, por exemplo).

      Por fim, se quer adiantar sua entrada no serviço público, poderá, sem dúvida, optar pelo tecnólogo, sabendo que ainda somos vítimas de muito preconceito. Depois você faz uma complementação para o bacharelado.

      Espero ter ajudado.

      Moacir Garcia
      Consultor de Recursos Humanos
      CRA/ES Nº 17.245
      moacirgarcia.consultorderh@gmail.com
      http://mgarciagestaodepessoas.blogspot.com/
      http://tecnologoeeducacao.blogspot.com/

      Excluir
    3. Oi Izaias, é sim, o tecnólogo é aceito também em concursos como nível superior, se os cargos não exigirem área específica no edital, como informou o nosso presado Moacir.
      Além da Polícia Federal e Receita Federal, citados por ele, cito alguns aqui também: Analista de Comércio Exterior do MDIC; Oficial de Chancelaria do MRE; Auditor Fiscal do Trabalho no MTE; Analista Federal no CGU, que está aberto nesse momento.
      Os salários são geralmente em torno de R$ 13.000,00.
      O lance é estudar muito direito depois de fazer qualquer graduação, seja ela licenciatura, bacharelado ou tecnologia.
      Foca em um cargo desses que vc tem plenas condições.
      Tá aí um bom tema se o Moacir quisesse escrever. Uma lista de cargos que exigem formação superior em qq área.
      Grande abraço.

      Excluir
  7. Adorei a matéria ....Muito inteligente e bem colocada.

    ResponderExcluir
  8. Boa tarde ! qualquer pessoa que queira fazer um concurso publico e é formado como tecnólogo , mas não pretende atuar na área é reconhecido ? por exemplo tenho formação tecnólogo em alguma área e quero prestar concurso para a polícia civil entre outros , eu posso ?
    essa é a minha dúvida !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tecnólogo é curso superior igual aos demais cursos de graduação. Restrição ao tecnólogo, a não ser que seja cargo específico, como médico, engenheiro, advogado, por exemplo, é ilegal, se as vagas exigirem qualquer nível superior de graduação.

      Se isso ocorrer, procure o Ministério Público e entre com ação contra tal injustiça. Neste portal é possível verificar casos de vitória dos tecnólogos contra essas arbitrariedades.

      Excluir
  9. Qual o amparo legal pra quem terminou um tecnólogo poder participar de um concurso que exija nível superior???

    ResponderExcluir
  10. Qual o amparo legal pra quem terminou um tecnólogo poder participar de um concurso que exija nível superior??? Quais são os concursos que podemos participar que exija nível superior.
    dhecyo.sylva@hotmail.com

    ResponderExcluir
  11. Olá, por gentileza, gostaria de saber quais são os direitos legais de quem fez um curso superior de tecnologia não reconhecido pelo MEC. O curso foi autorizado e já tenho meu diploma. Fiz um concurso de nível superior, e edital não menciona nada sobre bacharelado, tempo mínimo ou reconhecimento do MEC. O órgão poderá recusar meu diploma?
    Onde encontro embasamento legal para meu caso?
    obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mande-me um email com suas dúvidas: moacir.garcia2009@gmail.com .

      Cordialmente,

      Moacir Garcia

      Excluir
  12. Eu quero fazer concurso para polícia civil.. tenho curso tecnólogo em Gestão Ambiental. só fiz esse curso para prestar o concurso para polícia civil. lá no edital tem dizendo para o cargo de agente investigador (qualquer nível superior) então significa que posso prestar o concurso? Abraços, amigos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. Impedimento haveria se estivesse solicitando formação específica, por exemplo, advogado, contador, médico, etc.

      Excluir
    2. Entendi. no caso para Delegado(Bacharel em Direito). Cara eu nunca trabalhei, estou com 23 anos, só estudando para prestar o concurso da Polícia Civil. só fiz esse tecnólogo para prestar esse concurso. é o meu sonho! Abraços a todos vocês que ajudam aos que têm dúvidas.

      Excluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Segundo você, no "edital do concurso pede curso Técnico de Nível Médio do Eixo Tecnológico Informação e Comunicação, em instituição reconhecida pelo MEC", logo, se não tiver o requisito exigido em edital, isto é, CURSO TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO na área específica, seu curso superior Tecnológico não terá validade para o referido concurso, pois não atende a exigência do referido edital, uma vez que curso técnico (nível médio, geralmente profissionalizante) difere de curso superior tecnológico, que é curso de graduação, antigo terceiro grau, atual nível superior.

      Excluir