domingo, 20 de fevereiro de 2011

Cursos tecnológicos crescem em todo o País

Começam a ganhar mais espaço os cursos de graduação na modalidade tecnológica. Recém divulgado pelo Ministério da Educação (MEC), o Censo da Educação Superior 2009 apontou um crescimento de 26,1% no número de alunos matriculados na modalidade.

Em 2008, o País contava com 539 mil matrículas, número que subiu para 680 mil em 2009, aponta o MEC.

Em Maringá esse aumento de demanda também foi expressivo. O Centro Universitário de Maringá (Cesumar), instituição que oferece o maior número de cursos na modalidade tecnológica na região, 22 ao total, criou 12 novos cursos só este ano.

Com o foco no mercado de trabalho, os cursos superiores de tecnologia têm menor duração (entre 2 e 3 anos) e são mais voltados para uma determinada área de conhecimento. O Cesumar, por exemplo, diversifica a oferta com cursos que vão desde secretariado, passando por design de moda, logística e até construção de edifícios.

"São cursos que atendem as necessidades de mercado, que vão formar mão de obra qualificada e que as empresas da região estão em busca", avalia Wilson de Matos Filho, vice-reitor da instituição.

Entre os cursos tecnológicos com maior procura no Cesumar estão Gastronomia e Estética, que acaba de formar sua primeira turma.

A coordenadora Lilian Moraes explica que o perfil de alunos do curso é misto. "Temos pessoas que já estão no mercado e que buscam o diploma superior e também jovens que pretendem ingressar na área", afirma.

O curso prepara para a docência e consultoria, e o profissional sai com amplas possibilidades de inserção imediata no mercado.

Em entrevista ao site do MEC, o secretário nacional de educação profissional, Eliezer Pacheco, ressaltou a importância de se investir mais neste tipo de graduação. "O Brasil tem sede de profissionais qualificados para seguir o seu desenvolvimento. Esses cursos são uma alternativa excelente para a formação dos nossos jovens".

Segundo avaliação do Ministério da Educação, desde 2001, os cursos tecnológicos vêm conquistando espaço em um cenário que era dominado pelos bacharelados e licenciaturas (formatos clássicos de graduação).

Nesse período, o número de estudantes matriculados nesse nível de ensino passou de 69 mil para os atuais 680 mil, o que representa um aumento de 985%. A título de comparação, no mesmo período o número de estudantes em cursos de bacharelado cresceu 186%.

O secretário observa ainda que esse aumento da procura e da oferta de cursos superiores de tecnologia tem revelado uma "ruptura de padrões". Para Pacheco, "o mercado já não absorve os bacharéis e sente falta de um perfil mais técnico e tecnológico em seus profissionais".

Assim como os egressos de cursos de bacharelado e licenciatura, os tecnólogos recebem diploma de graduação e podem fazer cursos de especialização, de mestrado ou de doutorado e participar de concursos públicos. As informações são do Ministério da Educação, em sua página na internet.

Nenhum comentário:

Postar um comentário